Mudando as palavras-chave

Mudando as palavras-chave

“SE VOCÊ DIGITASSE FRACASSO, arrependimento, egoísmo e arrogância no Google, você encontraria uma foto minha, minha ex-namorada tinha me dito, brava, não muito antes de ela se casar. “Aquelas são as palavras-chave da sua vida.”
Acredito que todos temos palavras-chave. Acredito que todos temos um conjunto de características único: o DNA que vestimos do lado de fora e usamos para mostrar ao mundo.

Então, sim, todos temos palavras-chave. Mas suas palavras-chave podem mudar.”

Esse é um trecho do livro Charlotte Street que chamou muito minha atenção. Claro que a pergunta interna foi: quais seriam minhas palavras-chave? Difícil! Segundo Jase, o cara do livro, as palavras-chave seriam mais “íntimas” que essas características externas que a gente deixa os outros perceberem, ou ainda as características que a gente faz com que os outros percebam.
Já que esse blog não tem foto, endereço nem telefone. É algo pessoal num universo informal posso buscar minhas palavras-chave e dividir comigo mesma e com quem quiser ler depois.
Usando o livro como base escolho quatro palavras: DIVÓRCIO, dúvida, planos e Zoe! É isso aí se fosse possível jogar no Google algo mais que o superficial, eu me encontraria com esse conjunto de palavras, talvez achasse mais pessoas, até porque depois de um divórcio sempre restam dúvidas e planos são inevitáveis. Acredito que a Zoe me diferenciaria de todas as outras pessoas que passam por esse turbilhão que é o fim de um casamento que puxa a gente pra uma onda que não para de rolar. Não permite que a gente coloque a cabeça pra fora pra respirar, nem encontre areia firme pra se apoiar e ficar em pé de novo.
Zoe é minha cachorrinha, coisa mais linda do mundo!
Eu nunca quis ter cachorro, mas agora nem sei como fiquei sem ela esse tempo todo. Delícia chegar em casa e ser recebida por essa bolinha de pêlos, a como tem pêlo!
As dúvidas e planos são quanto à profissão, porque eu não consigo parar de pensar que uma profissão que me deixasse mais perto de livros e histórias me deixaria mais feliz. Estou buscando formas de fazer isso acontecer.
O que me deixa feliz é que até no livro Jase, um cara extremamente pessimista, mas não sem esperança, também acha que as palavras-chave podem mudar, porque eu bem sei que estou precisando e/ou querendo mudar as minhas.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s